Comentarista compara situação do Rio com a de São Paulo: “Futebol carioca está na fossa”

Apenas 8.745 pessoas foram ao Estádio Nilton Santos para acompanhar o clássico entre Flamengo e Botafogo, no sábado. Enquanto isso, em São Paulo, o público foi de 37.431 presentes para Santos x Corinthians, no Pacaembu.

Já no domingo, em Los Larios, uma imagem chamou atenção: um funcionário utilizando uma ferramenta de fossa séptica para retirar o excesso de água no gramado do estádio que recebeu Fluminense x Volta Redonda. Para o comentarista Sérgio Xavier Filho, a cena representa o momento vivido no futebol carioca.

– A cena é muito forte. Você usar aquela ferramenta de fossa séptica para tentar tirar a água. O futebol carioca está na fossa. Para mim é a imagem perfeita.

Apresentador do programa, Marcelo Barreto acredita que a Ferj (Federação do Estado do Rio de Janeiro) possui boa parcela de culpa na história.

– Uma vez entrevistei o presidente da Ferj, Rubens Lopes, e disse que o Rio vive uma crise de estádios. É verdade, mas a federação precisava ter uma postura mais ativa em relação a isso. A federação está se colocando como vítima: “Não temos estádios”. Não tem estádios mas tem um campeonato para organizar.

O jornalista Carlos Eduardo Mansur foi além. Para ele, os clubes também são responsáveis.

– Os clubes também. Os clubes passaram anos brigando. Não conseguiam usar o Engenhão até outro dia para um jogo entre Flamengo e Botafogo porque ficavam trocando provocação pelo Twitter.

 

Por SporTV.com, Rio de Janeiro

COMPARTILHAR