Concursados veem equívoco em Guarda Temporária na PB; Euller rebate

A criação de uma Guarda Militar Temporária na Paraíba causou a reação de concursados da Polícia Militar que ainda aguardam nomeação. O representante dos aprovados no último certame da instituição, Thiago Emanuel, considerou a medida “equivocada” e “absurda”.

Durante entrevista ao programa Correio Debate ele relembrou que o Governo afirmava frequentemente que iria aproveitar o máximo dos concursados aprovados em todas as etapas do concursos.

“Agora em 2016 ele fez uma nova contratação de 320 policiais militares. O Governo afirma que está fazendo das tripas coração para contratar além do que podia em relação ao pessoal que está esperando”, ressaltou Thiago.

Segundo ele, várias pessoas estão aptas e na fila de espera aguardando nomeação, algumas inclusive ingressaram com ações na Justiça para garantir a contratação.

“O engraçado é que o Governo sempre nos diz que a Lei de Responsabilidade Fiscal não permite a contratação”, afirmou.

Por sua vez, o comandante geral da PM, coronel Euller Chaves, rebateu as declarações de Thiago e afirmou que o concurso perdeu a validade.

“Não há mais tempo para buscar esse concurso. O Governo atual já contratou mais de duas mil pessoas através de concurso. Mantivemos o Curso de Formação de Oficiais continuamente”, afirmou o comandante.

Conforme Euller, a Guarda será implantada de forma experimental em uma unidade prisional. “Testando, vamos buscar outra unidade, chegando ao equilíbrio para aprimorar a proposta”, frisou.

 

MaisPB

 

COMPARTILHAR