Conquistas Improváveis

No último final de semana, o esporte foi brindado por notícias bem agradáveis, quando vimos na Fórmula 1 o desempenho do garoto e piloto holandês Max Verstappen, que com apenas 18 anos, já bateu um recorde de 66 anos de história nesta categoria. A outra boa notícia já faz alguns dias, quando o Leicester City ganhou a Premier Ligue, a poderosa liga inglesa, a mais rica do futebol mundial. Quem iria imaginar que um garoto de 18 anos e 8 meses, fosse logo vencer em sua estréia pela escuderia austríaca Red Bull, dando muitas alegrias ao seu diretor esportivo: Christian Horner e seu proprietário: Dietrich Masteschitz, magnata austríaco. Também, quem iria colocar fé em uma equipe do interior da Inglaterra que apenas três anos atrás, disputava à segunda divisão, e sua permanência em 2014-2015 foi tão difícil, que quase caiu  de novo à segundona. É por esses fatos notáveis que o esporte apresenta, que o mundo às vezes fica incrédulo, não sabendo uma explicação para tal.

O garoto Max Emilian Verstappen nasceu em Hasselt, na Bélgica, ele é filho de Jos Verstappen, que correu oito temporadas pela F1, e sua família apresenta um DNA  de velocidade, pois além de seu pai, sua mãe, também foi corredora de Kart. Com quatro anos, o garoto já corria com seu Kart, e depois de se destacar na categoria, passou por outras modalidades até chegar na Scuderia Toro Rosso em 2014, no lugar de Jean- Eric Vergne, mas ele só disputou à F1 em 2015. Sua contratação foi muito criticada pelo ex piloto Jacques Vlleneuve, que dizia que era a pior coisa para à F1. O menino não se abateu e logo no grande prêmio da Malásia, no circuito de Sepang, bateu o record do mais jovem piloto a pontuar na F1, com 17 anos e 180 dias de idade. Só faltava tempo para que o garoto mostrasse suas qualidades aos diretores da STR e Red Bull, que pertencem ao magnata austríaco Didi Masteschitz, e a chance veio depois das besteiras do russo Daniil Kvyat, que andou dando umas peitadas em Vettel, que reclamou a Horner, que resolveu rebaixar o russo e promover o holandês à Red Bull.

O Leicester fez uma façanha maior, pois ganhar a liga mais poderosa do mundo era uma coisa de sonho, pois em 2014-2015, o time lutou muito para sair do rebaixamento, só conseguiu nas últimas rodadas. Para a temporada 2015-2016, o treinador italiano Claudio Ranieri teve propostas inusitadas como para cada colocação acima do 18º lugar, ele ganharia 100.000£ e como abocanhou o título, ele embolsou 1.700.000 libras esterlinas, além do prêmio de melhor treinador, escolhido pela imprensa inglesa. O que chama mais atenção para este feito, é porque o Leicester tem um investimento de apenas 247 milhões de reais, o quarto mais barato da Premier Ligue, superando apenas três da primeira e os times da segunda divisão. Quero confessar que eu não entendi como foi possível ganhar um campeonato assim, já que o último time chamado pequeno, foi campeão em 1994-95 no caso, Blackburn Rovers. Nos últimos dez anos só Manchester United, Manchester City, Arsenal e Chelsea tinham ganho o campeonato, aumentando ainda mais  a façanha dos FOXES, como é chamado o Leicester. Tanto a diretoria como Claudio Ranieri falam que o planejamento inicial era chegar no máximo em 12º lugar e evitar o rebaixamento.

Quando se tem sorte, tudo é armado pelo destino ou por outra coisa, quem diria que as Mercedes iriam perder a corrida no circuito catalão de Montmeló. Foi preciso que Hamilton e Rosberg se estranhassem na pista para que os outros postulantes tivessem alguma chance de chegar no lugar mais alto do Podium, além do mais,ainda tinha as Ferrari de Vettel e de Haikonnen, que moveram intensa perseguição aos pilotos da Red Bull, valorizando ainda mais à vitória do jovem piloto holandês. A scuderia Red Bull emitiu um comunicado que essa foi uma estréia dos sonhos, pois o jovem piloto teve que suportar a pressão de Haikonnen durante 32 voltas, além do mais teve de suportar o desgaste de seus pneus, que estavam bem avariados no decorrer da prova. Diferente do Leicester, Verstappen não será campeão, pois a diferença de pontos é muito grande, e sua vitória só foi possível devidos às barbeiragens dos pilotos da Mercedes, que se chocaram ainda na primeira volta, abrindo essa oportunidade para os adversários. Rosberg, certamente é o grande favorito ao título, pois seu concorrente Hamilton, não vem dando sorte e ainda, cometendo algumas besteiras.

Os Foxes irão disputar à Champions como cabeça de chave, mas acho que suas chances serão pequenas, pois o time não tem experiência neste tipo de competição, que é diferente do campeonato inglês. Sua dupla de atacantes, já está sendo observada por outras equipes mais ricas da Europa, que querem tê-los em seus quadros. Ryiad Mahrez é francês, mas tem ascendência argelina, jogou a copa do mundo no Brasil pela Argélia, com pouca visibilidade, diga-se de passagem, só ouvi falar nesse jogador agora, com a bela campanha do Leicester no inglês. Jamie Vardy foi seu artilheiro no campeonato com 24 gols em 36 jogos, sendo escolhido o jogador do ano. Agora vamos ver o que vai ser dos Foxes, que para mim fizeram o maior feito do futebol mundial nos últimos cinquenta anos, que foi ganhar uma liga poderosa com uma equipe com orçamento limitado, e agora vai passar por outros testes mais difíceis, assim, poderemos fazer uma avaliação melhor sobre esta equipe, que encantou o mundo e quebrou algumas casas de apostas, pois ninguém botava fé nesse time do interior de apenas 320.000 habitantes do centro da Inglaterra.

Hugo Ferreira Pinto

COMPARTILHAR