Mãe: um anjo de Deus na Terra, que deve ser exaltada todos os dias.

Dedico estas singelas palavras a todas as mães, presença concreta da graça de Deus e elas são verdadeiros anjos descido do céu.

Escrevo esta mensagem,agora, dias depois do dia das mães, para evidenciar a importância delas, em todos os dias de nossa vida. Este foi um ato proposital, com a finalidade de refletir que não existe apenas um dia para parabenizá-las, pois desfrutamos diariamente de sua presença e de seu amor, por isso todos os dias devemos felicitá-las.

Procurei observar as postagens nas redes sociais, em especial as do site Facebook.com.Neste, ficou evidente que as manifestações de “carinho” e de “ternura” são passageiras e perenes, tendo como intuito principal, apenas atrair as “curtidas” das outras pessoas, ficando as mães em segundo plano, pois muitas delas não podem acompanhar as felicitações na internet. É evidente, que a intenção destes é apenas de exteriorizar seus sentimentos para que as outras pessoas possam ler, sem sequer se direcionar a própria personagem da história, que são as mães. Estas demonstrações públicas de afeto, muitas vezes não representam o sentimento real daquele momento, pois são frases de autores consagrados ou músicas de novelas,ou até mesmo, os selfies dos filho com as mães, transformando esse comportamento em febre na internet.

Esses filhos, muitas vezes nem se quer falam com as mães, mas no segundo domingo do mês de maio de cada ano, faz questão de registrar suas felicitações ao público, se portando como filhos bondosos e prestativos, esquecendo-se delas durante todo o ano. As mensagens, os selfies e as postagens que trazemos para as nossas mães no seu dia, apenas, as alegram naquele momento, pois teriam mais valor e importância se essas ações fossem cotidianas e renovadas de carinho.

Quando me lembro do papel das mães, vem a minha mente, a imagem de Maria, a Mãe de Jesus, pois se o filho de Deus, veio ao mundo por uma mulher, é porque Deus quis evidenciar a importância da mesma no projeto da salvação. Maria, não é adorada, mas venerada pela sua importância, por isso, peço a Maria que interceda por mim e pelos filhos deste mundo, pois tenho certeza que Jesus obedecerá a sua Mãe.

Para falar delas, precisei refletir sobre a imagem que tenho de minha mãe, que possui um dos mais difíceis papéis na sociedade, pois sofrem restrições na sua vida em decorrência de sua dedicação ao lar. Suas preocupações se estendem durante toda a nossa vida, não nos abandonam nem um momento, permanecendo conosco até quando casamos, dando seu colo e seus conselhos para melhor viver.

Muitas de nossas mães acordam na madrugada, para preparar o café da manhã, para quando acordamos, ao invés de cumprimentá-las, reclamamos de seu café amargo. Logo após prepararem o café, seguem para os seus locais de trabalho, onde podem se expressar mais abertamente, sem ter que ouvir os reclames de seus maridos, que ironizam ou desprezam seu comportamento. Depois disso, vem para seu horário de almoço, que diferentemente, de todo mundo, ao invés de almoçar e descansar, ficam ouvido os reclames da demora.Essa é a rotina de muitas de nossas mães, que só escutam nossas reclamações, e mesmo cansadas e saturadas, continuam cumprindo suas obrigações diárias.

Quando iremos valorizá-las? Será que continuaremos a reclamar de seus trabalhos? E o que podemos ofertar às nossas mães? O que temos para presenteá-las, se muitas vezes nem dinheiro temos, e quando temos é porque ela nos deu? Que tal ofertarmos o amor e o respeito que elas tanto merecem?

Tenho a alegria, de conviver com várias mães, tanto pessoalmente como profissionalmente, por isso, percebo que todas elas possuem um coração enorme, cheio de esperança e de amor. Ao longo de minha vida, tive o prazer de agregar mães na minha vida, além daquela que me gerou, Luciana Batista, possuidora demuita autoestima e alegria de viver;tenho as minhas avós, Maria Miranda e Terezinha Batista (in memoriam), que com suas particularidades, me ensinaram a viver; depois pude escolher uma “mãezinha”, que é minha madrinha: Fátima Fonseca, que com sua simplicidade e capacidade de me ouvir, muitas vezes escutou meus prantos e me aconselhou nas decisões de minha vida. Saúdo ainda, as minhas amigas, colegas de trabalho e da vida, enfim a todas aquelas que se doam pelo bem de seus filhos, a vocês dedico essas palavras como forma de carinho.

A todas as mães o nosso agradecimento pela sua existência, pois são verdadeiras super-heroínas, tendo com seus “poderes”a capacidade de nos amar em todos os momentos de nossas vidas, além de tudo fazer em nosso favor, inclusive nos protegendo, tanto fisicamente, como por meio das orações.

Parabéns Mamães, não apenas no segundo domingo de maio, mas em todos os dias de nossa vida.

 

Lucas Vialli

COMPARTILHAR