Mais um cai na calvário: Secretário preso é acusado de captar propinas e teria transportado de uma vez R$ 1,2 milhões em espécie de Curitiba

Ivan Burity (Executivo de Desenvolvimento e Turismo do Estado)

Era um silêncio de incomodar. Eis então que a Gaeco mostrou a que veio, nas primeiras horas desta quarta (dia 9). Em nova fase da Operação Calvário, resultado especialmente da delação do ex-assessor Leandro Nunes Azevedo, a força tarefa cumpriu vários mandados de busca e apreensão, mas especialmente prendeu o secretário Ivan Burity (Executivo de Desenvolvimento e Turismo do Estado).

As investigações tiveram como foco, especialmente, as ligações incestuosas de integrantes do governo Ricardo Coutinho com a organização social Ipsep (Instituto de Psicologia Clínica e Educacional), considerada um braço da Cruz Vermelha gaúcha, que tinha contratos de terceirização nas áreas de Saúde e Educação.

Pelas investigações, Ivan teria sido o elo de propina com essa OS e teria trazido, apenas numa oportunidade, de R$ 1,2 milhão em especie de Curitiba, num avião fretado, segundo Leandro. O dinheiro foi utilizado para irrigar a campanha do então candidato à reeleição, Ricardo Coutinho.

A operação se deu a partir dos mandados expedidos pelo desembargador Ricardo Vital de Almeida, e teve como alvos, além de Ivan Burity, as prisões preventivas de Jardel Aderico da Silva e Eduardo Simões Coutinho, afora 25 mandados de busca e apreensão, na Paraíba (João Pessoa, Santa Rita e Mataraca) e mais quatro Estados, inclusive na sede do Ipcep.

 

Blog do Helder Moura

COMPARTILHAR