Massacre em Suzano: atiradores eram ex-alunos da escola estadual Raul Brasil

Os ataques ocorreram por volta das 9h30 min desta quarta-feira, em Suzano. Foto: Reprodução

Os atiradores que tiraram a vida de cinco alunos da Escola Estadual Raul Brasil, de Suzano, em São Paulo, além de duas funcionárias escolares e de um dono de uma locadora, eram ex-alunos da instituição. Os dois também morreram no espisódio.

A informação foi confirmada durante coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (13) pela secretaria de Segurança Pública de São Paulo.

De acordo com o secretário João Camilo Pires Campos, novas informações sobre o episódio só devem ser detalhadas com o avanço das investigações. No entanto, adiantou que um dos atiradores, Guilherme Monteiro, de 17 anos, havia sido expulso da escola no ano passado por mal comportamento.

Morte dos atiradores

Segundo o secretário de segurança, a dupla chegou a forjar uma ataque a bomba para despistar os policiais. “Tinha uma bolsa com algo suspeito. Foi uma tentativa simulada por parte da dupla para pensar que era explosivo. Eram pacotes fakes”, afirmou.

A dupla foi morta pouco tempo depois de avistarem policiais dentro da escola. As investigações irão confirmar se ambos se suicidaram ou se um dos integrantes cometeu assassinato do colega e suicídio na sequência.

As investigações tentarão explicar as causas da motivação do atentato na escola de São Paulo. De acordo com a secretaria de São Paulo, são nove feridos. Eles foram encaminhados para o Hospital Santa Maria e Santa Casa de Suzano.

As vítimas

Alunos

Pablo Henrique Rodrigues
Cleiton Antonio Ribeiro
Caio Oliveira
Samuel Melquíades Silva de Oliveira
João Vitor Ramos Lemos (morreu a caminho do hospital)

Funcionárias

Marilena Ferreira Umezu
Eliana Regina de Oliveira Xavier

Atiradores 

Guilherme Taucci Monteiro,  de 17 anos
Luis Henrique de Castro, de 25 anos

Dono de uma locadora

João Antônio de Morais (tio de Guilherme Taucci)

 

Diariodonordeste.verdesmares.com.br

COMPARTILHAR