Nacional de Patos se revolta com polêmica extracampo e promete acionar a FPF

As polêmicas para o jogo da volta entre Nacional de Patos e São Paulo Crystal, pelas semifinais da 2ª divisão do Campeonato Paraibano, prometem esquentar ainda mais o duelo. Após o prefeito Pedro Gomes, de Cruz do Espírito Santo, ter postado em suas redes sociais críticas contra a arbitragem do primeiro confronto entre as equipes (em que o Naça venceu de virada, por 2 a 1) e ter expressado o desejo de que a torcida visitante não fosse ao jogo de volta, a diretoria do Nacional de Patos resolveu reagir. Os dirigentes dizem que temem atos de violência contra a sua torcida, e anunciou que vai solicitar ou o adiamento da partida ou a mudança de local do jogo.

Tudo começou com uma postagem nas redes sociais do prefeito da cidade de origem do São Paulo Crystal, quando ele expressou que “tomara que não apareça torcida de fora”. A revolta era por causa da expulsão de um jogador do seu time e falhas que ele diz que o árbitro cometeu. Os nacionalinos, no entanto, viram a frase como uma ameaça e se disseram assustados.

O presidente do Nacional de Patos, Alisson Nunes, disse que o prefeito gerou medo entre os torcedores do Canário do Sertão que pretendiam viajar os mais de 280km que separam as duas cidades.

A ideia, então, é que na pior das hipóteses o jogo seja transferido para o Estádio Almeidão, em João Pessoa:

– O prefeito de uma cidade fez uma ameaça a uma torcida. Foi uma ameaça pública. Isso gerou revolta. Fomos procurados por torcedores do Naça que pretendem viajar. Já estamos oficializando junto à FPF. Não há segurança para jogar em Cruz do Espírito Santo – contou.

Se nada mudar, o jogo da volta está marcado para acontecer na próxima quarta-feira, na noite de quarta-feira, às 20h, no Estádio Carneirão.

A reportagem do GloboEsporte.com/pb tentou entrar em contato com o prefeito de Cruz do Espírito Santo, Pedro Gomes, mas sem sucesso.

 

Por GloboEsporte.com, Campina Grande

COMPARTILHAR