Natal de Jesus Cristo ou do Papai Noel?

Um certo casal adentra à cidade de Belém da Judéia, ele já velho, homem maduro, chamava a atenção de todos por sua lucidez, paciência e um ar de experiência. Ela, uma mulher bem mais jovem do que ele, chamava a atenção por ser uma mulher centrada, linda, segura e por estar grávida.

Aquele casal continua andando a procura de um abrigo, um lugar para descansarem da viajem, e como ela estava prestes a dar à luz, procuravam também um lugar adequado para o nascimento do bebê. Mas, devido ao grande fluxo de pessoas naquele lugar, isso porque muita gente afluía àquela pequena cidade para um recenciamento, por ordem do Imperador, não encontraram lugar para se hospedarem. Nem sequer uma família lhes ofereceram um quarto ou canto qualquer em sua casa. O fato é que não havia lugar para o nascimento do Salvador da humanidade em Belém.

Nos dias atuais, também não há lugar para o Salvador. Criaram uma data especial para se comemorar o nascimento do Salvador – o Natal, data essa pouco provável, já que no mês de dezembro o inverno é intenso em Israel e pastor nenhum seria louco para levar suas ovelha à pastarem num tremendo frio, nem tão pouco estrela nenhuma seria visto nessas condições climáticas. Louvável a ideia de uma data comemorativa ao nascimento do Salvador! Louvável se realmente houvesse essa lembrança!

Mas, num mundo globalizado e que cultua o capitalismo selvagem e o consumismo, Jesus, o lembrado e cultuado é um velhinho barbudo, de história dúbia e vestido com a cor padrão da Coca-Cola. Isso mesmo, Jesus foi esquecido, em seu lugar o “bom velhinho” reina absoluto. Em lugar da adoração ao Salvador, em lugar de momentos de reflexão, em lugar do “clima” ou do “espírito” natalino, prevalece o consumismo desenfreado, onde as famílias entram o ano seguinte endividadas por contas dos atrativos das compras do natal.É a “maldição” do “bom velhinho”, hoje o símbolo maior do capitalismo. Maldito papai Noel!

Será que há lugar, atualmente, para Jesus Cristo nos corações das pessoas?

Será que o Natal é mesmo de Jesus Cristo? Ou não seria do Papai Noel?

Que neste Natal venhamos refletir as nossas práticas, as nossas ações, os nossos pensamentos, as nossas ideias, os nossos paradigmas e o nosso discurso hipócrita!

Que em nossos corações tenha lugar sim, mas para Jesus Cristo e não para Papai Noel!

 

Escreveu/Afonso Junior

COMPARTILHAR