O Drama cruz-maltino

O ano de 2015 prometia ser um ano muito bom para o Vasco, pois o clube tinha conseguido o acesso à série A do brasileirão, ainda em 2014, ficando em terceiro lugar na B do mesmo ano. Em 2015 o Vasco formou seu elenco para disputar o Carioca e por conseguinte o Brasileiro, e assim conseguir dar logo seu padrão de jogo para o ano. No Carioca, o time ia bem, pois sabemos que o estadual do Rio não é dos melhores em termos de qualidade, e os vascaínos conseguiram fazer boas partidas e chegar à final contra o Botafogo, clube que disputa à B neste ano. Com boas atuações de seu atacante Gilberto, o Vasco derrotou o fogão e sagrou-se campeão do Carioca 2015. A torcida achava que a equipe poderia fazer um bom Brasileiro, mas o que se viu foi a deficiência do elenco vascaíno, e assim, a equipe passou a sofrer revezes que derrubaram o seu treinador Doriva, que não aguentou o padrão cultural do futebol brasileiro – perdeu, é demitido –  .

Celso Roth foi contratado para o lugar de Doriva, no começo, mais ou menos, mas como era de difícil relacionamento com os atletas, foi logo se desgastando e para alguns, foi sabotado pelo elenco, que não o queria, e fazendo corpo mole, os atletas terminaram lhe demitindo, pois os resultados foram decepcionantes. Para o lugar do Roth, foi contratado o Jorge de Amorim Campos, o Jorginho, que tem uma identidade muita grande com o Flamengo, mas que também já jogou no Vasco em 2000, quando ganhou aquele vice mundial da FIFA, torneio contestado por muitos. Jorginho foi formado nas bases do América e foi para o Flamengo em 1984, ficando até 1989. Hoje ele tenta tirar o Vasco da série B, mas a coisa está difícil, pois o clube da colina é o lanterna da competição, faz seis partidas que não vence. O Vasco precisa vencer no mínimo 11 partidas para ter uma real chance de fugir à segundona, deixando seus torcedores em estado de  cólera.

Jorginho avaliou o elenco, mas não perde suas esperanças, pois acha que ainda dá tempo para o Vasco reverter essa difícil situação, para ele é preciso paciência, pois tem que dar crédito ao elenco fazer com que os jogadores criem uma natureza positiva para enfrentar os difíceis compromissos que virão pela frente. Muita gente da imprensa, já dá como certa o terceiro rebaixamento da história do Vasco, pois a situação é complicada, além do mais, o elenco não é de qualidade, já que a equipe não fez um bom investimento para o Brasileirão, achando que, com o elenco que ganhou o Carioca era possível fazer um grande Brasileiro, ou quem sabe, abocanhar uma vaga para Libertadores 2016. No dia 16 de setembro, Jorginho completa um mês de Vasco, tempo muito pouco para evitar o tão indesejado rebaixamento, que é tratado com gozação pelos adversários. O treinador vive cheio de esperanças, logo, esperamos por suas tão esperadas façanhas, que possam tirar o clube da colina de seu calvário.

Vivendo dias de dificuldades, o Vasco fez um bom time para disputar à taça Libertadores 2012, mas levou azar ao enfrentar o Corinthians no Pacaembu, quando Diego Souza perdeu um gol feito na frente de Cássio, que fez uma milagrosa  defesa, até hoje lembrada nos programas esportivos de rádio e TV.  O clube cruz-maltino foi campeão da Copa do Brasil 2011, e por isso pôde participar da Libertadores do ano seguinte. Nesse tempo, Roberto Dinamite era seu presidente, mas o Vasco não decolou, vendeu seu elenco e hoje, vive amargando dias de infelicidades no cenário esportivo brasileiro. Seu desafeto Eurico Miranda, voltou a comandar o time, mas até agora, não tem o poder de fogo para tirar a equipe desse atropelo em que se meteu. O Vasco é hoje o lanterna do Brasileiro com 13 pontos; 3 vitórias, 4 empates e 16 derrotas; faltando 15 rodadas para terminar o campeonato, seus torcedores já veem como certo o rebaixamento para 2016.

Por suas glórias e seu passado, o Vasco não pode ficar por muito tempo no fundo do poço, pois muitos clubes aproveitam suas derrocadas para fazerem reformulações no elenco e chegar com força total ao topo da tabela. O River Plate é um claro exemplo desse tipo de coisa, pois foi rebaixado em 2011, aproveitou o momento para dar uma faxina em seu elenco. Após esse período de ajustes, ganhou uma das etapas do argentino, depois foi campeão da Sulamericana, e esse ano ganhou a Libertadores em cima dos Tigres de Monterrey, México. Espero que o Vasco possa evitar mais uma vez o rebaixamento, assim como River e Corinthians, a equipe de São Januário possa se estruturar de vez, reconhecer o difícil momento atual, ter um bom planejamento e conseguir montar um bom elenco para a volta e depois se reforçar melhor, pois o torcedor sonha com dias mais tranquilos  para não cair mais no purgatório da segundona. O Vasco é conhecido como o time da virada, mais do que nunca ele está precisando dela agora, para dar imensas alegrias aos seus fiéis torcedores.

COMPARTILHAR