River mantém fama de carrasco de brasileiros na Libertadores e consegue mais uma virada ‘impossível’

Mais uma vez, o River Plate  frustrou os planos de um time brasileiro na Copa Libertadores quando tudo parecia perdido.

Neste milênio, desde 2001, o gigante argentino, contando com o duelo na semifinal contra o Grêmio, eliminou clubes brasileiros quatro vezes em seis ocasiões, sendo que três delas de forma consecutivas.

O que todos esses confrontos contra times brasileiros têm em comum? O River esteve “quase morto” em todos eles.

Nas oitavas de final de 2002, contra o mesmo Grêmio, e na semi em 2005, diante do São Paulo, o clube argentino foi eliminado. Mas nos outros quatro confrontos, os clubes brasileiros chegaram a sentir o gostinho da vaga.

Oitavas de final, 2003

Jogando a ida no Monumental de Nuñez, o Corinthians abriu o placar com Jorge Wagner, aos 23 minutos do segundo tempo. Quando a vitória do Timão parecia certa, D’Alessandro empatou aos 39, e Cavenaghi virou aos 44 da etapa final. Mesmo assim, bastava uma vitória por 1 a 0 na volta para o time brasileiro.

E ela veio, mas não durou. Liédson abriu o placar no Morumbi aos 9 minutos de jogo, mas Demichelis empatou aos 22. Antes do intervalo, o lateral esquerdo Roger Guerreiro foi expulso por uma falta em D’Alessandro. Aos 29 do segundo tempo, Esteban Fuentes marcou de pênalti, e o River fez a festa no Morumbi.

Oitavas de final, 2006

Novamente diante do Corinthians. E novamente o time brasileiro saiu na frente em Buenos Aires, com Carlitos Tévez, aos 15 minutos de jogo. Farias, aos 25, e Ferrari, aos 30, viraram para o River. Santana fez 3 a 1 para os argentinos, mas Xavier diminuiu para os paulistas nos acréscimos. Novamente, bastava o 1 a 0 para o Timão na volta.

No Pacaembu, novamente o Corinthians saiu na frente com o placar que o classificaria, com gol de Nilmar. Aos 11 do segundo tempo, Coelho fez um gol contra. Depois, Gonzalo Higuaín fez mais dois gols, o River venceu por 3 a 1, e depois cenas lamentáveis entre a torcida dos paulistas e a polícia tomaram conta do Pacaembu.

Quartas de final, 2015

O Cruzeiro conseguiu o que muitos achavam impossível e venceu a ida por 1 a 0 no Monumental de Nuñez com gol de Marquinhos.

No Mineirão, Carlos Sanchez, Maidana e Teo Gutierrez fizeram 3 a 0 para o River e calaram a torcida celeste no estádio lotado.

Semifinal, 2018

O Grêmio, mesmo com os desfalques de Luan e Éverton, jogou muito bem em Buenos Aires e venceu o River Plate por 1 a 0 com gol de Michel.

Na volta, Leonardo fez 1 a 0 na Arena. Éverton entrou no segundo tempo e perdeu um gol cara a cara com Armani que poderia ter dado a classificação ao time gaúcho. Mas aos 37 da etapa final o River empatou. Aos 45, Bressan, que havia entrado na etapa final, encostou a mão na bola dentro da área, e o árbitro assinalou pênalti depois de consultar o VAR. O zagueiro gremista ainda foi expulso pelo segundo cartão amarelo. Pity Martinez converteu e classificou os argentinos à final da Libertadores.

 

ESPN

COMPARTILHAR