Torcedor do Botafogo-PB morto após ser espancado é enterrado em João Pessoa

Enterro de Eduardo Feliciano aconteceu no cemitério Nossa Senhora da Penha em João Pessoa — Foto: Giuliano Roque/TV Cabo Branco

O torcedor do Botafogo-PB, Eduardo Feliciano Justino da Silva, morto após ser espancado por policiais militares em Ceará-Mirim, no Rio Grande do Norte, foi enterrado no final da tarde desta segunda-feira (12) no cemitério Nossa Senhora da Penha, na praia da Penha, em João Pessoa. O corpo de Eduardo Feliciano tinha sido velado no centro comunitário do bairro do Geisel, bairro onde morava com a família.

Eduardo Feliciano, de 27 anos, morreu no hospital municipal de Ceará-Mirim vítima de uma ruptura do coração e uma hemorragia em decorrência do espancamento. A perícia feita pelo Instituto Técnico Científico de Perícia (Itep) no corpo do torcedor do Botafogo-PB confirmou a causa da morte.

Questionado o que poderia causar essas lesões, o perito apontou que teria sido o uso de “instrumentos contundentes”, não determinados pelo exame, contra o corpo da vítima. “Pode ser soco, chute, impacto no cimento, ou no asfalto, um cassetete, qualquer objeto cuja energia provocada pelo impacto em uma área provoque lesões”, explicou o diretor do órgão e perito criminal, Marcos Brandão.

Ainda são aguardados os exames toxicológico e de dosagem alcoólica, que, segundo o diretor serão importantes para fundamentar o laudo, podendo delinear a circunstância em que a morte aconteceu e uma possível mudança de conduta da vítima, provocada por drogas e ou álcool. Ele acredita que os exames devem ser concluídos em 10 dias.

Segundo a família, o homem foi espancado por policiais militares após pular o muro do estádio Barretão. A corporação afirmou que deverá se pronunciar oficialmente sobre o caso após a investigação que será feita pela Polícia Civil. O velório do torcedor começou no domingo, no bairro do Geisel, em João Pessoa, onde morava e o sepultamento deve acontecer nesta segunda-feira (12).

De acordo com a guia de solicitação de exame cadavérico assinado pela equipe médica do hospital, o homem de 27 anos tinha marcas de contusão no tórax e no rosto, além de intoxicação alcoólica e indícios de uso de drogas ilícitas.

O auxiliar de serralheiro Eduardo Feliciano Justino da Silva é natural de João Pessoa e veio ao Rio Grande do Norte numa caravana de torcida organizada para o jogo contra o Globo FC, pela Série C do Campeonato Brasileiro de futebol, marcado para 19h15 deste sábado (11) no estádio. A partida acabou com vitória do time paraibano por 3 a 0.

Outros torcedores do Botafogo-PB registraram queixa na Central de Polícia de João Pessoa denunciando que foram agredidos pela Polícia Militar do Rio Grande do Norte antes da partida. De acordo com os boletins de ocorrência, os torcedores paraibanos informaram que foram vítimas de repressão policial sem ter envolvimento com a tentativa de entrar sem pagar no estádio Manoel Dantas Barreto, conhecido como Barretão, local da partida.

 

Por G1 PB

COMPARTILHAR