Tristeza Raposeira

A Paraíba de 2013 para cá vem melhorando seu futebol, prova disso é que o Campinense já ganhou o Nordestão e o Botafogo já papou à serie D. Em 2016, para nossa alegria, o Campinense fez um bom time e vem disputando torneios que muitos não acreditavam chegar onde chegou. A bola da vez de novo foi o Nordestão, com um bom elenco a raposa só ficou atrás do Bahia na fase de classificação, com isso. o time se aproveitou para ir longe, fazer uma campanha espetacular e disputar à final contra o Santa Cruz de Recife. Infelizmente não deu para a raposa, pois sua defesa cometeu erros crassos que deram praticamente o título ao adversário, mas ficou a lembrança de um belo futebol, que encheram de alegria nossos olhos e dando esperanças para um futuro melhor para o futebol paraibano. Abatidos pela perda do título, a raposa foi a Belo Horizonte com o time reserva e perdeu para o Cruzeiro por 3×2, um resultado excelente, devido ao estado da equipe. Agora resta o Paraibano e talvez à serie D, esperamos que o campinense, faça um bom Brasileirão, para chegar à C, onde já participou em 2010 e desta vez não fique passeando de série em ´serie, como time mambembe, pois isso não leva a lugar nenhum.

Campina Grande tem a alegria do Campinense, mas também tem a tristeza do Treze, que não formou uma boa equipe para 2016, por isso, amarga sérios prejuízos futebolísticos, e teve sua agenda encurtada muito antes do normal, pois o Galo sempre disputa torneios nacionais, mas este ano, vai ter que se contentar com um ano que foi até Abril. A crise do Treze é consequência de sua diretoria fragmentada, que não consegue dar ao time um norte sequer; isso já acarretou prejuízos à equipe, como não bastasse, ainda têm os problemas financeiros que são a causa principal, pois impede de trazer bons jogadores para o paraibano e consequentemente disputar um torneio nacional que dê visibilidade ao time. Marcelo Vilar, que passou quase cinco anos no time em épocas passadas, foi contratado para comandar o time, mas com um orçamento no osso e uma diretoria desunida, foi difícil fazer um bom campeonato, o galo foi eliminado pelo maior rival, o Campinense no hexagonal final. Vi o Treze jogar aqui em Cajazeiras contra o Paraíba, mostrou um futebol muito fraco, com poucas jogadas de qualidade, o primeiro tempo quase dava sono, só não perdeu o jogo porque a arbitragem viu lá um pênalti meio esquisito, e salvou o Galo da derrota. Espero que o Treze se refaça, que sua diretoria possa unir esforços para que volta a disputar o Brasileirão e o Nordestão, assim o futebol paraibano é quem vai ganhar.

No Sertão a coisa não tá tão boa assim, botei muita fé no Paraíba, mas no final tudo deu em nada, a Cobra Coral tinha o adversário mais fraco dos grandes o CSP, que não vinha fazendo muito coisa, só o feijão com arroz, mas mesmo assim o Paraíba jogou fora suas esperanças e da nossa cidade ao perder em João Pessoa e empatar dentro do Perpetão com uma equipe limitada como é o CSP. Apesar de tudo, vamos colocar muita fé na Cobra Coral, para que em anos vindouros, possamos ver uma equipe vibrante e que dispute às finais do Paraibano. O Atlético como se sabe, fez uma equipe fraca, como sempre, mas escapou no torneio da morte, a grande novidade este ano no estadual; o time fez o dever de casa e escapou da degola, deixando o prejuízo para o Esporte ,de Patos e o Santa canavieiro. Não sei o que acontece com o Atlético pós 2008, pois não formou nenhum time de qualidade para as disputas do estadual, ainda teve um lampejo com Geraldo Lira em 2012, mas se tirando disso, nada. Não vou mais pedir para se organizar, pois quanto mais se pede a coisa piora, e sempre tem gente que fica arrumando bode expiatório, em vez disso, poderia mostrar os problemas eternos do time e tentar uma outra solução que leve a lugares bem menos tenebrosos, que vêm atormentando a vida da equipe nos últimos anos.

O Sousa fez uma equipe média para às disputas do Paraibano, mas no começo não empolgou, dispensou até o treinador, que depois veio ao Paraíba, o Dinossauro foi recuperando seu futebol, mas também não deslanchou, mas foi o suficiente para se classificar com a última vaga de seu grupo. Teve um adversário difícil pela frente, o Belo da capital, que é um forte candidato ao título, devido à sua folha salarial e bons jogadores em seu elenco. O time sousense não quis saber disso, ganhou no Marizão por 3×1 e foi goleado na capital por 5×0; este resultado não tirou a vaga da equipe, pois o Paraíba não  fez seu dever e o dinossauro ficou com a vaga pelo vitória em cima do Belo. O Sousa disputa às semifinais contra o próprio Botafogo, onde ganhou à primeira partida no Marizão por 2×1, o segundo jogo está marcado para o Almeidão no próximo domingo.  Patos foi uma tristeza só, a cidade que é a maior e a mais desenvolvida do Sertão, não consegue emplacar uma boa equipe, e o Esporte não fez diferente; armou um time fraco, pois estava ameaçado de não disputar o campeonato, com idas e vindas na justiça, isso certamente o prejudicou, mas não foi só isso, os famosos problemas financeiros devem ter sidos a causa principal do fiasco patoense. Quando  a região sertaneja conseguir formar boas equipes estaremos aqui escrevendo coisas boas, mas do jeito que está vai ser só tristeza.Sei que a crise econômica judeia muito das nossas equipes, mas se você vai participar de um campeonato é preciso que se organize um pouco, senão, vamos ficar chorando todos os anos, lamentando a triste sina de nosso futebol.

Por/Hugo Ferreira Pinto

 

COMPARTILHAR