Veja Vídeo:Produzidos sem agrotóxicos, alimentos orgânicos buscam mais espaço na mesa do consumidor em Cajazeiras – PB

Com o compromisso diário de observar a lavoura e formular receitas para conter pragas, produtores ecológicos mantém viva uma agricultura onde os químicos ainda passam longe dos alimentos.

Os males causados pelos agrotóxicos vão desde toxicidades agudas até câncer e doenças neurológicas. Além disso, essas substâncias também são um risco para o meio ambiente, pois poluem as águas e contribuem com o aquecimento global. Pimentão, pepino, alface, tomates, e outras hortaliças são alguns dos alimentos que apresentam os maiores índices de agrotóxicos.

A alternativa oferecida pelo mercado, hoje, são o cultivo de alimentos orgânicos, cultivados sem o uso de produtos sem agrotóxicos. O cultivo destes alimentos é feito com adubo orgânico, que também ajuda a afastar os seres nocivos da plantação, mas ao contrário das substâncias tóxicas, não agride o meio ambiente, sendo um exemplo de sustentabilidade e ajuda a ter atitudes sustentáveis.

Entretanto os alimentos sem agrotóxicos podem custar até mais caros que os outros, já que sua produção é feita em menor escala e certas variedades de frutas e legumes são difíceis de ser encontradas fora da época da colheita, pois como não há interferência externa sobre seu desenvolvimento, todo o processo depende da própria natureza.

Este é o trabalho desempenhado pelo jovem agricultor Rafael Araújo, presidente da Associação Comunitária do Assentamento Edvaldo Sebastião, na região de Cajazeiras alto sertão paraibano, que tem cerca de 20 residências e 60 habitantes.

Água para produzir

Principal iniciativa é a construção de cisternas domésticas. Esses reservatórios servem apenas para o consumo doméstico, para uso na produção agrícola, que é construída próximo à horta, à plantação ou à criação. No caso do agricultor Rafael Araújo o investimento foi tão produtivo que ele pensa em repeti-lo. “Eu quero ampliar  esta cultura e continuar levando através da minha produção saúde a mesa dos cajazeirenses e sertanejos”, planeja.

Contra o ataque de pragas e larvas, nada de defensivos, ensina o jovem Rafael. ”Aqui eu aplico algumas fórmulas agroecológicas, como a diversificação de culturas (para enganar a larva) e o uso de plantas “com cheiro”, como flores e ervas, para afastar insetos. O agricultor também guarda urina de vaca, e garapa da rapadura eficiente contra alguns insetos vetores de larvas. “O veneno não mata os bichos, apenas cria novos insetos com mais resistência”, adverte.

Para encontrar os produtos sem agrotóxicos, é só você se dirigir todas as sextas-feiras bem cedo, para a Praça Cristiano Cartaxo ao lado do sangradouro do açude grande de Cajazeiras, que você vai encontrar, Rafael e outros colegas  produtores com suas frutas e verduras sem nenhum risco para sua saúde.

Fotos/Beto Cézar Portal Alto Sertão.com.br

Reportagem vídeo e fotos/Felipe Silva e Beto Cézar

Portal Alto Sertão.com.br- A notícia com responsabilidade

COMPARTILHAR