O futuro promissor do aeroporto de Juazeiro do Norte-CE

Governo Federal pretende faturar no mínimo R$ 219 milhões. Aeroporto cearense deve receber investimentos de R$ 193,5 milhões por durante 30 anos

Às vésperas do início da vigência de concessão do aeroporto de Juazeiro do Norte, a expectativa de aquecimento da economia do turismo se mantém. A espanhola Aena Desarrollo Internacional foi a vencedora no leilão e, a partir de janeiro, vai gerir o aeroporto do Cariri cearense, além de outros cinco equipamentos do tipo no Nordeste.

O arremate de R$ 1,9 bilhão, 1.000% do valor inicial pedido pelo lote, compreendeu a concessão do Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes, em Juazeiro do Norte, junto a Recife (PE), Maceió (AL), Campina Grande (PB), João Pessoa (PB) e Aracaju (SE), que integram o bloco Nordeste.

Para o Cariri, a estimativa da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) é que a circulação de passageiros salte de 563 mil por ano para 2,8 milhões até o fim da concessão, em 30 anos. Já a área física deve aumentar quatro vezes, nas próximas décadas.

Nos próximos 15 anos, o tamanho do terminal de passageiros sairá dos atuais 2,5 mil m² para 7,5 mil m². Uma segunda ampliação para 10 mil m² já está prevista na outra metade. A pista também deve aumentar 138 metros, passando de 1.800 m para 1.938 m – com 45 m de largura. Áreas de escape devem ser construídas nas duas extremidades.

A Aena negou-se a adiantar informações sobre os projetos previstos, limitando-se a dizer que “está centrada no processo de transferência operacional”. Sabe-se que, somente no equipamento cearense, o investimento será na ordem de R$ 193,5 milhões para ampliação, modernização e manutenção.

Pelo contrato, é essencial ter melhorias em banheiros, acessibilidade, tecnologia, iluminação, climatização, acesso de veículos e movimentação de passageiros – incluindo escadas rolantes, esteiras, elevadores -, dentre outras.

A transição da gestão do terminal entre Infraero e Aena ocorre após a aprovação do Plano de Transferência Operacional (PTO), que deve ocorrer nas próximas semanas, segundo a Anac. A agência tem 40 dias para aprovação.

“A transição entre operadores aeroportuários é feita com todas as cautelas necessárias para a segurança das operações e para minimizar o impacto sobre os passageiros, empresas aéreas e demais usuários do terminal”, informou a Anac.

Mas para consolidar o novo momento da aviação local, é necessário aquecimento da demanda. “Os operadores e o Governo devem atrair voos. É interesse deles. Mas tem que estar sustentado por economia que viabilize isso. O Cariri tem potencial para geração de maior tráfego aéreo, mas renda e atividades econômicas é que vão definir”, sintetiza Adalberto Febeliano, especialista em Transporte Aéreo.

Douglas Feitosa, coordenador da CDL Jovem Ceará, defende que a localização estratégica já é uma promotora de desenvolvimento da região. Para ele, as melhorias no aeroporto farão de Juazeiro do Norte um “território de convergência econômica, social e cultural”.

“Turismo, novos negócios, elevado potencial de consumo e uma dinâmica urbano-regional consolidam todo este crescimento. Mais visitantes vão possibilitar maximização do setor de comércio e serviço, que é o nosso mais representativo setor econômico”, complementa Douglas.

Arialdo Pinho, secretário do Turismo do Ceará, afirma que o Governo do Estado tem feito sua parte. “Há esforços na região em melhorar as estradas e os pontos turísticos. Só no Teleférico do Caldas e Bondinho do Horto do Padre Cícero, o investimento é superior a R$ 100 milhões, com obras em andamento. O aeroporto também está bem atendido em número de voos, proporcionalmente ao mercado”. Ele conta que, em fevereiro, será lançada a Rota do Cariri, com publicidade nacional. O roteiro reúne os principais atrativos da região para impulsionar o fluxo turístico.

Arena Romeirão, Parque Ecológico das Timbaúbas, sítios arqueológicos, Geopark Araripe, Horto, Igreja do Rosário, Engenho Tupinambá, Seminário São José, Fundação Casa Grande são alguns dos pontos turísticos mais importantes da região. Alguns destes atraem principalmente ao turista estrangeiro.

O prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra (PTB), frisa que o entretenimento tem se fortalecido, a exemplo da artesania, música, teatro e gastronomia, com bares e restaurantes. Ele ratifica ainda que o fortalecimento do transporte aéreo aquece o turismo de negócios, como eventos corporativos, e segmentos calçadista e joalheiro, por exemplo. “O Cariri não se resume ao Crajubar, mas sim 32 municípios, cujos prefeitos tê trabalhado juntos, para o bem da região. Juazeiro tem capitaneado isso, sendo a locomotiva. Há grau de desenvolvimento que empolga a quem visita e estamos tomando rumo diferente, integrado”.

 

O POVO

COMPARTILHAR