Operação visa recuperar R$ 36 milhões sonegados para os cofres públicos da Paraíba

A Delegacia de Crimes contra a Ordem Tributária pretende trabalhar para recuperar R$ 36 milhões devidos em tributos a Secretaria da Fazenda paraibana. Foi o que afirmou o delegado Hector Azevedo durante entrevista coletiva sobre a Operação Noteiras, deflagrada na manhã desta quarta-feira (4).

A operação visou desarticular um esquema de fraude fiscal que movimentou aproximadamente R$ 200 milhões em mercadorias e notas fiscais inidôneas, emitidas por empresas “laranjas”, o que representaria em torno de R$ 36 milhões em tributos que não foram para os cofres públicos.

“O esforço investigativo continuará a tentar identificar empresas envolvidas para tentar recuperar esse dinheiro que foi desviado dos cofres públicos”, disse o delegado.

Oito pessoas foram presas durante a operação, sendo que sete já tinham mandado de prisão expedido e uma pessoa foi presa em flagrante por posse ilegal de arma. No total dez mandados de prisão haviam sido expedidos, três pessoas não foram encontradas. Foram cumpridos também 14 mandados de busca e apreensão. A polícia apreendeu drogas, uma arma, dinheiro e documentos.

A investigação aponta a participação de um servidor aposentado da Secretaria da Fazenda no esquema. Ele estava viajando e não foi encontrado pela polícia. Caso seja confirmada a participação do homem, ele pode ser demitido dos quadros do Governo do Estado.

Participaram da operação, três Promotores de Justiça, cerca de 50 Policiais Civis  e 34 Auditores Fiscais da Fazenda Estadual, com suas respectivas equipes. Os investigados na  “Operação Noteiras” responderão por crimes contra a ordem tributária, organização criminosa e falsidade ideológica, cujas penas, somadas, chegam a 18 anos de reclusão.

 

Clickpb

COMPARTILHAR