Presos na 7ª fase da ‘Calvário’ vão para presídios na Paraíba, determina juiz em audiência de custódia

Deputada estadual Estela Bezerra foi o primeiro dos alvos de prisão preventiva ouvido na audiência de custódia em João Pessoa — Foto: Walter Paparazzo/G1

As audiências de custódia dos nove presos na Paraíba durante a sétima fase da Operação Calvário tiveram início na manhã desta quarta-feira (18) na Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. Até o fim da manhã, tinham sido ouvidos pelo juiz Adilson Fabrício na audiência de custódia: a deputada estadual Estela Bezerra (PSB), o advogado Francisco das Chagas Ferreira, a prefeita de Conde, Márcia Lucena (PSB), o ex-secretário de Saúde do Estado da Paraíba Waldson de Souza, o ex-secretário executivo de educação José Arthur Viana Teixeira, o ex-procurador-geral do Estado da Paraíba Gilberto Carneiro, Coriolano Coutinho, irmão de Ricardo Coutinho, e Vladimir dos Santos Neiva.

Ficou definido até as 13h que: o advogado Francisco das Chagas, o ex-secretário de Saúde Waldson de Souza, o ex-secretário executivo de educação José Arthur Viana Teixeira, o ex-procurador-geral do Estado da Paraíba Gilberto Carneiro, Coriolano Coutinho, irmão de Ricardo Coutinho, e Vladimir dos Santos Neiva seguem presos e devem ser conduzidos até a Penitenciária Média de Mangabeira por prerrogativa de prisão diferenciada. Márcia Lucena, prefeita de Conde, por sua vez, também segue presa e deve ser encaminhada para o Presídio Feminino Júlia Maranhão.

A deputada estadual Estela Bezerra, que teve sua prisão revogada em votação extraordinária na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) na noite de terça-feira (17), segue presa até a homologação da decisão dos colegas parlamentares pelo relator do processo da Operação Calvário, o desembargador Ricardo Vital de Almeida. Com a chegada no alvará de soltura, a parlamentar deve ser liberada ainda nesta quarta, enquanto isso ela aguarda presa no Presídio Feminino Júlia Maranhão.

Conforme determinação do desembargador Ricardo Vital de Almeida, na decisão que resultou na expedição dos mandados cumpridos na sétima fase da Operação Calvário, os homens com prerrogativas de função devem ser alojados em celas especiais na Penitenciária de Segurança Média Juiz Hitler Cantalice, enquanto os demais sem foro privilegiado devem ser levados para o Presídio do Roger, ambos em João Pessoa.

A mesma recomendação do desembargador Ricardo Vital de Almeida para as mulheres que permanecerem presas em decorrência das denúncias da operação Calvário devem ser encaminhadas para o Presídio Feminino Júlia Maranhão. Caso a penitenciária não tenha celas especiais para as mulheres que tenham prerrogativa de função, as presas devem seguir para a carceragem da 6ª Companhia Independente da Polícia Militar da Paraíba em Cabedelo, na Região Metropolitana de João Pessoa.

Ainda de acordo com o desembargador, para evitar ingerência e influência política no processo judicial, os alvos de prisão preventiva Ricardo Coutinho, Coriolano Coutinho, Gilberto Carneiro e Waldson de Souza devem ser mantidos em separado e sem contato de qualquer natureza. Esses alvos ficam proibidos também de receber visitas, exceto de familiares de 1º e 2º graus (em linha direta e colateral) e advogados.

 

Por G1 PB

COMPARTILHAR